Câmara celebra os 58 anos da Associação dos Delegados de Polícia
 

Cleiton

A sessão ordinária desta quinta-feira (19/4), na Câmara Municipal de Porto Alegre, contou com a presença do delegado de polícia Cleiton Freitas, vereador suplente e presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Rio Grande do Sul (Asdep). Fundada em 26 de abril de 1960, a entidade completa 58 anos de existência neste mês e foi o assunto do período de Comunicações Temáticas da sessão.

Segundo Cleiton, a Asdep tem por objetivo, desde sua fundação, atender os delegados e oferecer melhorias para sociedade civil, sempre prezando pela valorização da classe e da Polícia Civil. “Em nenhum momento, houve desistência na luta pelos direitos dos delegados e delegadas”, contou. Para ele, a valorização da Polícia Civil, cujos dirigentes são os delegados, representa melhorias para a população. O presidente da associação lembrou, ainda, que a Asdep tem atuado junto à segurança pública do Estado, buscando desenvolvimento no setor.

Cleiton também destacou uma notícia divulgada na imprensa relativa a viaturas da Brigada Militar estarem estacionadas na frente do Palácio da Polícia e de delegacias. Segundo ele, há um grande problema com a destinação dos presos, pois não há mais presídios e celas disponíveis, sobrecarregando as delegacias. “No meu mandato, eu tentei não falar de armas ou de guerras, mas da importância da educação”, concluiu.

Vereadores

SEGURANÇA - Cássio Trogildo (PTB) mostrou-se muito feliz com o retorno de Delegado Cleiton à Câmara, parabenizando a Asdep pelo seu aniversário e agradecendo a parceria da associação com o Legislativo da Capital. Segundo Trogildo, a entidade foi uma das signatárias do Comitê Permanente de Segurança organizado pela Câmara Municipal, em 2016 e 2017, que encaminhou vários indicativos e conclusões sobre segurança pública ao governador José Ivo Sartori. “A Asdep é uma entidade classista, sim, mas é uma entidade que, acima de tudo, está preocupada, de forma completa, com a segurança pública de todos os gaúchos”, ressaltou. (AF)

DIFÍCIL - José Freitas (PRB) destacou a importância do trabalho da Asdep, que possui centenas de delegados no RS. Ressaltou que o Estado e o país passam por um momento muito difícil, com muita insegurança para a população, com delegacias lotadas."Os delegados têm enfrentado as mais variadas dificuldades, com o sucateamento das delegacias e salários parcelados. Também desejou que melhore a situação do Estado e que o poder público possa oferecer mais segurança à população. "A Asdep luta para dar condições melhores de trabalho à categoria dos policiais e por mais segurança para as pessoas." (CS)

ATENDIMENTO - Lourdes Sprenger (PMDB) cumprimentou Cleiton por dirigir uma entidade muito importante e que congrega os delegados do Estado. Lembrou que a população sempre é bem atendida quando precisa recorrer a uma delegacia para fazer ocorrências ou denúncias. Segundo ela, são os delegados que encabeçam inquéritos antes de fazer investigações. Salientou também que muitos policiais já tombaram ou ficaram com sequelas graves pelo enfrentamento à criminalidade. Lourdes ainda destacou a importância das delegacias especializadas no acatamento de denúncias por maus-tratos a animais, "sempre com boa assistência das delegacias" neste tipo de atendimento, bem como elogiou o grande número de mulheres que estão atualmente nos quadros da Polícia e no enfrentamento da violência. (CS)

PREVENÇÃO - Prof. Alex Fraga (PSOL) saudou Delegado Cleiton. Ele afirmou que endossava as palavras do presidente da Asdep a respeito da importância da educação na prevenção da violência. Observou que parcela da sociedade acredita que basta prender pessoas para resolver o problema da violência. "Estamos errando muito. Falta mais educação neste país, há muito tempo. Compartilho seus ideais de que, se quisermos ser uma nação menos desigual, precisamos mudar as perspectivas da juventude." Alex citou que as escolas estão cada vez mais sucateadas e os espaços de lazer restritos. O vereador elogiou ainda a seriedade com que a categoria dos delegados encara o trabalho de enfrentar a violência e destacou que é preciso mais investimentos em equipamentos e em capacidade investigativa. (CS)

ENJAULAR - Comandante Nádia (PMDB) disse que era preciso fazer uma correção ao pronunciamento de Prof. Alex Fraga (PSOL), pois a Polícia não estava enjaulando seres humanos. "Pessoas que matam e estupram não podem ser consideradas seres humanos." Disse concordar, no entanto, que a sociedade só pode melhorar com educação de qualidade, valores e ética, e com o comprometimento com a nação. Parabenizou Delegado Cleiton por estar à frente da Asdep e destacou o empenho da entidade em debater e trazer melhorias para a segurança pública do Estado. "Há um trabalho árduo da associação na contínua melhoria da segurança no Estado, cuidando das pessoas que trabalham pelo bem do Rio Grande do Sul." (CS)

LIGAÇÃO - Mônica Leal (PP) cumprimentou a todos os delegados e delegadas pelo trabalho sério e comprometido na área da segurança pública do Estado. Salientou que tem "ligação estreita e afetiva" com a Polícia devido à trajetória de seu pai, coronel Pedro Américo Leal, que foi também chefe de Polícia no Estado. "Somos gratos ao trabalho que realiza a Asdep, uma classe de homens e mulheres que se doam pela segurança da sociedade, estando nas ruas combatendo a criminalidade." Cumprimentou a Asdep pelos 58 anos de existência e destacou que o trabalho da entidade na busca por mais segurança ocorre em momento difícil em que a criminalidade avança. "O Rio Grande do Sul tem a melhor polícia do país. Só por isso a criminalidade não está pior no Estado." (CS)

Texto: Adriana Figueiredo (estagiária de Jornalismo)
          Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)