Burmann 243463 S

A Frente Parlamentar em Defesa da Terceira Idade, presidida pelo deputado Gerson Burmann (PDT), promoveu, nesta segunda-feira (15), audiência pública para avaliar o impacto da Nova Reforma da Previdência na vida dos trabalhadores e aposentados. No encontro, o deputado advertiu para os riscos da capitalização da Previdência e a repercussão no empobrecimento dos aposentados, conforme aconteceu no Chile. O grupo deliberou pela elaboração de um documento com os encaminhamentos políticos contra a reforma da Previdência.

Conforme o deputado, “a reforma da Previdência deveria combater os privilégios, como as altas aposentadorias e os sonegadores”, mas “tudo indica que atingirá os trabalhadores assalariados, aumentando para 65 anos a idade para a aposentadoria”. Destacou, ainda, que as mulheres terão que trabalhar até os 62 anos, e no meio rural, a idade da mulher passará de 55 para 60 anos, assim como as professoras, que também passarão de 55 para 60 anos. Outra ponderação foi em relação ao fim do direito à pensão por morte, que também irá afetar a vida dos aposentados. “Estamos todos preocupados com a falta de garantia de reajustes das aposentadorias pela inflação”, afirmou Burmann. Ele destacou que “caso essa reforma seja aprovada como está, não será mais necessário 3/5 dos votos para fazer alterações no Congresso Nacional, bastando apenas a maioria simples, através de Lei Complementar, o que coloca um risco ainda maior às futuras aposentadorias”.

Perversidade contra trabalhadores e aposentados 
Pela OAB, o advogado e especialista em Previdência, Thiago Kidrick, mostrou os riscos que o povo brasileiro está correndo com a aprovação deste texto da reforma, como a diminuição de benefícios conquistados, a desconstitucionalização e a capitalização da Previdência. “O projeto do governo de Jair Bolsonaro propõe mudanças no cálculo das aposentadorias, mudanças na aposentadoria por invalidez e na concessão de aposentadoria especial, rural e de professores”, enfatizou Kidrick, ressaltando a importância de debates para ampliar as informações sobre o tema.

Elisete Hintz, da FETAG, pediu união das forças dos trabalhadores urbanos e rurais diante das ameaças promovidas por esse texto da reforma. Disse que os trabalhadores rurais contribuem com a Previdência tanto quanto os urbanos, razão pela qual todos devem se unir contra a proposta em vigência no Congresso.

“Não podemos deixar passar esta reforma com este texto, que somente prejudica os menos favorecidos e isto terá reflexo na economia, assim como teve no Chile, pois os aposentados não tinham dinheiro nem para alimentação”, ressaltou o deputado Pepe Vargas (PT), presidente da Comissão Especial da Previdência.

A presidente do Conselho Estadual do Idoso, Jussara Raut, destacou a necessidade de debater o assunto, que “é a preocupação constante de todos os aposentados”, conclamando à unidade de trabalhadores e aposentados contra a reforma. José Kuhn colocou a FETAPERGS à disposição da Frente Parlamentar e informou que estão organizando reuniões em todo o Estado, com apoio de outras entidades, para alertar a população. Abigail Pereira, representando o Senador Paulo Paim (PT), destacou o resultado da CPI da Previdência, presidida pelo Senador, que não encontrou crise na previdência, evidenciando a desnecessidade da reforma.

Também participaram a Tesoureira Geral da FETAG/RS, Elisete Hintz; pela AJURIS, o desembargador Ângelo Maraninchi Giannakos; o presidente da FETAPERGS, José Pedro Kuhn; o presidente da ANFIP, Vilson Romero; e o vice-presidente da FECTIRGS, José Renato Scherer. E entidades como SESC, Secretaria de Justiça e Cidadania, PREVIMPA, SINDIFISCO, AIAPLIN, SINDNAPI, ACAFISP, OAB/RS, Pastoral da Pessoa Idosa, Associação dos Clubes de 3ª Idade – Regional 1, AGITRA, AIAMU, ABA, e representantes dos municípios de Porto Mauá, Mariano Moro e Pinheirinho do Vale.

Burmann Frente 1902

A Frente Parlamentar em Defesa da Terceira Idade e Idosos da Assembleia Legislativa, foi instalada na manhã de hoje (19/02). A presidência ficou a cargo do deputado Gerson Burmann (PDT) que ao longo dos seus cinco mandatos tem trabalhado em políticas públicas para a pessoa idosa.

Na ocasião, Burmann reuniu o Grupo de Trabalho que é integrado por várias entidades de classe que atuam na defesa dos idosos e ressaltou os grandes desafios que esperam a todos, pois a todo o momento os idosos brasileiros temem pela perda de direitos que foram conquistados com muita luta e mobilização e lembrou que uma nova reforma da previdência vai pautar o Congresso Nacional nos próximos dias, motivo pelo qual pediu atenção das entidades que representam os idosos, aposentados e pensionistas.

O grupo debateu, ainda, vários temas como o cartão de estacionamento para idosos; os projetos de lei que tramitam na Assembleia Legislativa e a aplicação da lei que concede passagens gratuitas para idosos em transporte interestadual e que vão nortear o debate no corrente ano.

Burmann lembrou importantes projetos de sua autoria que tramitam na Assembleia e que visam sempre o apoio e o incentivo da terceira idade e idosos. Citou o projeto 172/217, que trata de uma verba específica para o esporte para idosos, que conta com o apoio do Conselho Estadual do Idoso, assunto debatido com o novo secretário de Esportes, João Derly em audiência no final da manhã.

Relatou, ainda, o trâmite dos projetos: Projeto de Resolução nº 10/2018 que Institui o Prêmio Município Amigo do Idoso destinado a laurear os municípios gaúchos pela atuação na defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; e o PL 123/2018 - Altera a Lei nº 13.394 – que visa adequar a data da realização das atividades da Semana Estadual do Idoso e enfatizou a importância das ações da frente parlamentar, e declarou o slogan que tem usado: “trabalhando hoje, preparando o Amanhã”.

Participaram da reunião a Fetapergs; a Fectirgs; o Sesc; a SES/RS; a FGJAI; a Pastoral da Pessoa Idosa; o Coordenador da Comissão de Trabalho da Frente Parlamentar - José Renato Scherer; a assessoria do deputado Gerson Burmann e do senador Paulo Paim.

sop 1712 03

Na tarde de 17 de dezembro o Deputado Estadual ijuiense Gerson Burmann esteve na Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação onde o atual secretário, Rogério Salazar, descerrou placas que homenageiam os ex-titulares da SOP. Burmann recebeu a homenagem pelo período que comandou a secretaria de janeiro de 2015 a abril de 2017 e o também homenageado Fabiano Pereira, até abril de 2018.

O secretário Salazar ressaltou: “quando assumi a pasta tive o trabalho facilitado pelo grande legado deixado pelos colegas que me antecederam. Foram gestões marcantes, com trabalho intenso e coletivo, dedicação e bons serviços prestados ao Estado. Há 129 anos a Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação do Estado ajuda a desenvolver o Rio Grande do Sul”.

Gerson Burmann manifestou sua gratidão pela homenagem: “É uma alegria retornar à Secretaria de Obras. Foi uma oportunidade ímpar de fazer grandes amigos, conhecer a realidade do Estado e, principalmente, de fazer as coisas acontecerem”, destacou, relembrando ainda alguns pilares de sua gestão. “Realizamos obras com projetos eficientes, orçamentos reais e com a execução conforme era esperada pela população”, completou.

A solenidade ocorreu no 3° andar da secretaria, local que abriga a galeria dos secretários desde o ano de 1889.

Fonte e fotos: ASCOM SOP​

Burmann 237807 S

O deputado Gerson Burmann (PDT) manifestou-se com surpresa e indignação com a notícia de que o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers) ajuizou uma ação cível pública para suspender a abertura do curso de Medicina pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), em Ijuí, e também barrando a realização do vestibular de ingresso que está agendado para o dia 24 de fevereiro.

As alegações do Conselho de Medicina são refutadas pelo deputado Burmann, pois houve a mobilização de toda uma região, onde todos serão beneficiados com a implantação do novo curso, não fosse assim, o Brasil e o Estado do Rio Grande do Sul não estariam contratando profissionais de fora do País.

Burmann vai mais além quando declara que todos os procedimentos legais foram observados e que, somente agora, na reta final de uma tão sonhada conquista, o Cremers tenta barrar a implantação do curso.

Mesmo com o recesso da Assembleia Legislativa, Burmann está em Porto Alegre mantendo-se a disposição da comunidade ijuiense, em contato com as autoridades estaduais, mesmo sabendo que a questão está judicializada e que a Unijui está reunindo todos os esforços para provar à justiça a importância e necessidade da implantação do curso.

Burmann declarou estar ao lado da Reitora da Unijuí, professora Cátia Maria Nehring, e de toda a comunidade acadêmica que tanto lutaram, e por tantos anos, pela autorização do MEC.

Apoio na Casa Civil

O deputado esteve com o chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, na manhã do dia 16/01, com o intuito de buscar o apoio do Governo do Estado no que tange ao impasse provocado pelo pedido judicial do Cremers, que tenta impedir a realização do vestibular para Medicina na UNIJUÍ. Burmann entende que a participação do governo do Estado também é importante nesse processo, na defesa e manutenção do processo de implantação do curso, haja vista sua importância para todo o Estado.

A trajetória do curso na região

Em 2012 a Unijuí liderou movimento que criou o Comitê Comunitário Pró-Curso de Medicina em Ijuí, em conjunto com diversas entidades locais e políticos da bancada gaúcha. Após Ijuí e posteriormente a Universidade estarem habilitadas, em 2015, um revés marcou a busca pelo curso, posteriormente revertido com a desistência da Instituição de outro estado que buscava se estabelecer em Ijuí. Um novo edital foi criado pelo MEC e novamente a Unijuí se habilitou, desta vez com sucesso.

Burmann encerra dizendo que o sonho está tão perto de se realizar, mas a mobilização deve continuar para suplantarmos todas as barreiras que ainda restam para a efetivação do tão sonhado curso de medicina em Ijuí.

 *Com informações Assessoria Deputado Gerson Burmann

Página 1 de 2