Partidos de esquerda lançam manifesto ‘Unidade para Reconstruir o Brasil
 

frente de esquerda

Em ato realizado na tarde desta terça-feira (20), as fundações ligadas aos partidos de esquerda – PDT, PT, PSOl, PSB, PC do B – lançaram o manifesto “Unidade para Reconstruir o Brasil”, que visa criar um projeto em prol do desenvolvimento do País. Entre as ações imediatas da iniciativa, destacam-se: a restauração da democracia, do Estado Democrático de Direito, e do equilíbrio entre os Poderes da República, com a retomada dos direitos da soberania nacional e contra as privatizações.

De acordo com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, a ideia do projeto conjunto é a união de forças para colocar o país de volta no caminho do desenvolvimento.

“Independentemente dos projetos partidários, temos que estar juntos pelo Brasil com soluções para a nação. Cada fundação está dando um passo importante na nossa história, nos reunindo não só no projeto eleitoral, mas principalmente num projeto de Brasil que queremos, que sonhamos”, definiu o presidente.

“O Manifesto representa um primeiro passo na formatação das diretrizes do Plano de Governo dos candidatos do campo popular no Brasil. É o embrião da nossa unidade e das esperanças do povo brasileiro contra o arbítrio e a intolerância”, definiu Manoel Dias, presidente da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) e secretário-geral nacional do PDT.

O documento foi assinado pelos presidentes das fundações Leonel Brizola-Alberto Pasqualini (PDT), Lauro Campos (ligada ao Psol), João Mangabeira (PSB) e da Fundação Maurício Grabois (PCdoB). Dente outros pontos, ele define que a elaboração de um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento é uma obra coletiva.

Nele, independentemente das estratégias eleitorais do conjunto das legendas dos progressistas, a base programática deve convergir para “facilitar o diálogo que construa a união de amplas forças políticas, sociais, econômicas e culturais que constituam uma nova maioria política e social capaz de retirar o país da crise e encaminhá-lo a um novo ciclo político de democracia, soberania nacional, prosperidade econômica e progresso social.”.